oHappyHour - Juiz de Fora/Minas Gerais

Notícias

Histórias do Magela

Documentário “Histórias do Magela” apresenta  trajetória do radialista juiz- forano Geraldo Magela Tavares

A carreira do radialista Geraldo Magela Tavares é o foco do documentário Histórias do Magela, do diretor Flávio Lins, que será lançado na próxima quinta-feira, 27, às 19h30, no Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM). O vídeo  traz depoimentos e memórias do comunicador sobre diversos acontecimentos de sua vida que se confundem com a história de Juiz de Fora.

Com cerca de 60 minutos, a produção é fruto de entrevistas feitas com o radialista, entre setembro de 2012 e fevereiro de 2013, que totalizaram mais de 60 horas de conversa. No árduo trabalho de selecionar o material, o diretor Flávio Lins optou pelos momentos marcantes da ilustre figura no esporte, rádio, TV, política e Carnaval. No filme será possível encontrar a ótica do personagem que comandou o Tupi nas vitórias sobre os grandes times de Belo Horizonte, rendendo o apelido de “Fantasma do Mineirão” ao Carijó, assim como seu testemunho da transmissão em que o General Mourão Filho anuncia o Golpe de 64.

Histórias do Magela

Foto: Divulgação   

Outros momentos de Magela como a apresentação do programa Camisa 10, na extinta TV Industrial de Juiz de Fora, e o comando do Mesa de Debates na TVE, assim como sua atuação como diretor do carnaval também são lembrados na cinebiografia. As relações políticas também não são esquecidas na produção, quando trata da influência e proximidade de Magela com o ex-presidente Itamar Franco e o ex-prefeito Alberto Bejani.

 “A trajetória de Bejani, interrompida por denúncias de corrupção, é tratada como um fenômeno meteórico entrelaçado ao percurso do ex-prefeito no rádio local. Já o Itamar é humanizado pelo Magela, que ressalta suas qualidades, sem deixar de lado as fraquezas humanas, apresentando-o mais como um homem  bom e não um mito”, afirma Lins.

          Tendo conhecido Magela quando trabalhou com ele na TV,  Flávio Lins conta de como suas impressões de convivência inspiraram a produção do documentário. “O Magela sempre chamou a atenção pela atividade, ele fazia várias coisas e sempre muito bem. Além disso era dono de uma personalidade que impressionava: responsável por grandes coisas mas sempre muito simples no trato”, conta.

          A modéstia de Magela contrastava com sua realizações, segundo o diretor. “Ele fez muitas coisas na cidade, mas sempre foi dos bastidores. Não gostava de aparecer e ficar alegando o mérito. Ele trabalhava por amor, fosse no futebol, na política ou carnaval. Por isso mesmo a importância de resgatar sua figura. As novas gerações e pesquisadores têm nele uma fonte rica de informações e conteúdo.” 

          Além do documentário, que fez com recursos próprios e praticamente sozinho, contando com ajuda da jornalista Regina Gaio na fase de edição, Flávio Lins ainda prepara uma biografia de Geraldo Magela para ser publicada, e um projeto para internet com a documentação acumulada em torno do radialista. 

          Geraldo Magela Tavares faleceu em 8 de maio de 2015, aos 87 anos.

Sobre o diretor

Flávio Lins é doutor em comunicação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e pela Università degli Studi di Roma “La Sapienza”.Graduado em comunicação e em direito, tem experiência de mais de vinte anos em produção audiovisual, a maior parte do tempo como editor e diretor de arte, em diferentes emissoras de televisão. Além disso, dirigiu o documentário “Cariocas do Brejo entrando no Ar”, premiado no Festival Internacional de Cinema de Arquivo – Recine, realizado pelo Arquivo Nacional, em 2012.

Fonte: Produção Cultural – MAMM – UFJF